Pesquisar este blog

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Tanicidade

Afinal o que é tanicidade?
Um das substâncias mais presentes e as vezes mais inconvenientes em um vinho é a presença do tanino
, um elemento contido só nos tintos e dá a impressão de travar a boca. Quanto mais baixa a temperatura, mais evidente ele fica, tornando o vinho desagradável se a bebida estiver gelada. Essa substância está presente nas cascas e nas sementes das uvas, presente também na madeira do tonéis. 

O fundamental na vinificação dos tintos é a maceração, que consiste em manter um contato com os taninos das sementes e cascas, isso ajuda a dar a cor aos tintos. Na cuba de fermentação, teremos uma massa uniforme com polpas, cascas e sementes, assim que começar a inoculação das leveduras, esse processo liberará CO2, fazendo com que a polpa e a semente fiquem na superfície, ficando assim não haverá a maceração, o enólogo fará a remontagem que é fazer a polpa do fundo, através de bombas, "molhar" a superfície, fazendo com que haja a maceração. Depois que o vinho estiver descansando nos tonéis de madeira, ele absorverá taninos da madeira.
Certo, tudo isso parece ser muito bonito, mas afinal o que isso interfere no vinho, vocês devem estar se perguntando isso.
Muita coisa, um vinho tânico produz aquela sensação na parte interna da boca e na gengiva que parecem que enrugam, a mesma sensação que quando comemos uma banana verde, parece que "amarra"a boca.
Vinhos muito tânicos não são assim para ter sabor agradável agora, mas esperam que um dia sejam grandes vinhos, com o valor e o reconhecimento que todos almejam. O tanino age como um conservante para prolongar a vida ativa dos tintos. Os vinhos possuem a capacidade de absorver toda espécie de elementos aromáticos, mas precisam de tempo para eles se ligarem e formarem vinhos espetaculares.  Trabalho esse do enólogo que determinará o quanto de tanino deverá ter o vinho afim de equilibrar os outros elementos aromáticos.
Conforme os vinhos vão amadurecendo seus taninos vão ficando menos evidentes e tornando-se mais suaves, os aromas baseados em frutas começam a despertar.
Hoje em dia há muitos vinhos em que o enólogo projeta o vinho para ter poucos taninos para ser consumido jovens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado, comentário, observação, será bem vindo...